Buscar
  • Kelly Robis

Comportamento alimentar disfuncional: o que fazer?

Ansiedade é um estado de humor em que o indivíduo permanece apreensivo e preocupado com diversas situações da sua vida. A ansiedade se difere do medo porque o medo é uma resposta emocional diante de uma ameaça específica geralmente mais agudo e reativo e proporcional à ameaça. A ansiedade pode acompanhar o indivíduo ao longo do dia como uma sensação constante de apreensão inespecífica e de desconforto, podendo ou não, estar associada a períodos de exacerbação, como por exemplo nas crises de pânico. Estamos vivenciando uma ocasião em que a preocupação em relação a saúde é um fenômeno social, além de todas as incertezas. Nesse sentido, é frequente o relato de aumento da ansiedade.

Todos os pensamentos e emoções relacionadas a ansiedade trazem mudanças na forma como deliberamos em relação a nossa própria alimentação. O alimento, nestes casos, pode representar um instrumento de alívio rápido e fácil – ainda que momentâneo – da ansiedade. É descrito também que pessoas em estado de estresse apresentam uma busca aumentada de satisfações mais imediatas, com capacidade reduzida de avaliar as vantagens e desvantagens da decisão no longo prazo. Exemplo disso é se formos a um supermercado de manhã, após uma boa noite de sono antes do trabalho apresentamos uma chance menor de comprarmos alimentos calóricos do que se formos ao mesmo supermercado após um dia estressante de trabalho.

Considerando que o comportamento alimentar disfuncional pode gerar um conjunto de prejuízos para a saúde e também uma grande frustração, um conjunto de dicas podem ser úteis:

  • Armazenar alimentos mais calóricos em locais de maior difícil acesso;

  • Armazenar nas regiões de maior fácil acesso da casa alimentos menos calóricos e mais saudáveis;

  • Quando sentir necessidade de ingerir algum alimento, busque identificar se alguma emoção desagradável está presente e se existe alguma tentativa de regulação dessa emoção por meio dos alimentos;

  • Acolha a emoção e busque alternativas para regular a emoção: primeiro tome consciência que a emoção irá passar, faça alguma atividade que alivie o desconforto da situação, como ouvir uma música ou respirar fundo e busque soluções para a emoção.

  • Se o sofrimento for persistente, não fique sozinho, busque ajuda de um profissional.


#alimentacao #transtornoalimentar #ansiedade #psiquiatrabh


49 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Entrevista concedida para o jornal Edição do Brasil http://edicaodobrasil.com.br/2021/01/08/cuidar-da-saude-e-principal-prioridade-brasileiro-em-2021/ Após a finalização de um ano marcado por uma doen